55 (41) 3342-0310 | 55 (41) 99722-6504 Av. Batel, 1550 • Sala 814 - Curitiba • PR Rua Maestro Cardim, 592 • Sala 1001 - São Paulo • SP Seg à Sex • das 9h às 18h

Osteoporose

O aumento da sobrevida da população passou de 40 anos em 1940 para 76 anos em 2016, e tem sido acompanhado por um incremento da prevalência de diversas doenças crônicas incluindo a Osteoporose.

A osteoporose é caracterizada pelo aumento do risco de fraturas, atinge homens e mulheres a partir dos 50 a 60 anos de idade, pode ocorrer em jovens quando existe algum outro fator ou doença associada, porém é mais comuns em mulheres após a menopausa.

A presença de alguns fatores considerados como fatores de risco estão relacionados a maior prevalência da doença em populações específicas. Por exemplo, a presença de osteoporose ou fratura nos familiares mais próximos, cor da pele muito clara, baixa ingestão de leite e derivados, falta de exposição solar, sedentarismo, tabagismo e etilismo estão entre os fatores associados a baixa massa óssea. Muito importante lembrar que existem causas específicas, chamadas causas secundárias de osteoporose que estão relacionadas ao uso de alguns medicamentos como corticosteróides e anticonvulsivantes, ou a presença de doenças que interferem com o equilíbrio corporal ou metabólico como as doenças endócrinas ou associadas ao desequilíbrio hormonal; as doenças hematológicas e inflamatórias; as síndromes de má absorção; após cirurgia bariátrica e alterações nutricionais como a deficiência de vitamina D.

A osteoporose é uma doença silenciosa, diagnosticada somente após suspeita clínica. O diagnóstico de osteoporose pode ser realizado clinicamente quando existe fratura de baixo impacto ou pelo exame de densitometria óssea que pode diagnosticar a doença mais precocemente. A osteoporose deve ser prevenida e tratada.

A prevenção da osteoporose começa na infância com o estímulo para a ingestão de leite e derivados, exposição solar, atividade física ao ar livre e estilo de vida saudável, após a menopausa e principalmente nas mulheres com história familiar de osteoporose, deve se considerar a reposição hormonal, quando indicada. Outro ponto fundamental são os cuidados com a casa, chamado de “casa segura” visando a prevenção das fraturas, pois a maioria destas ocorrem  em ambientes conhecidos, como cozinha e banheiros.

O tratamento da osteoporose consiste em dois pontos principais.

– Tratamento não medicamentoso, que consiste em medidas gerais como o ajuste das necessidades de cálcio e vitamina D e estímulo para atividade física adequada, que tanto podem contribuir para o tratamento como para prevenção. –Tratamento medicamentoso, existem vários medicamentos que ajudam a prevenir fraturas, eles agem diminuindo a perda da massa óssea (antireabsortivos) e outros agem estimulando o ganho ósseo (anabólicos). Estes medicamentos podem ser administrados como medicações orais mensais ou injetáveis a cada 6 meses (subcutâneo) ou a cada 12 meses (endovenosos).

É muito importante lembrarmos que esta doença silenciosa existe e que não é necessário esperar que ocorram fraturas para que seja adequadamente tratada.

Anterior

Próximo

Compartilhar
WhatsApp chat