55 (41) 3342-0310 | 55 (41) 99722-6504 Av. Batel, 1550 • Sala 814 - Curitiba • PR Rua Maestro Cardim, 592 • Sala 1001 - São Paulo • SP Seg à Sex • das 9h às 18h

Diagnóstico de Osteoporose

O diagnostico de osteoporose pode ser clínico ou pelo exame de densitometria óssea.

O diagnostico da osteoporose pode ser muito fácil na presença de uma fratura clínica por baixo impacto, por exemplo fratura de fêmur ou coluna apos cair. ou pelo achado eventual de uma fratura de coluna (diminuição da altura vertebral) em um raio X de rotina, ou quando existe diminuição de estatura sem outra causa definida. Na maioria dos casos a busca da doença deve ser ativa pelo exame de densitometria óssea que é capaz de predizer a possibilidade de fratura em 10 anos.

Outros exames são necessários para descartar causas secundárias de osteoporose, como hemograma, creatinina e vitamina D por exemplo, mas estes não levam ao diagnóstico da mesma.

Indicação para o exame de densitometria óssea segundo a ISCD (https://www.iscd.org/official-positions/2015-iscd-official-positions-adult)

  • Mulheres com 65 anos ou mais
  • Mulheres na pós-menopausa com idade inferior a 65 anos de idade se têm um factor de risco para baixa massa óssea, tais como;
    • baixo peso corporal
    • fratura prévia
    • uso de medicamentos de alto risco
    • doença ou condição associada com perda óssea.
  • Durante a transição da menopausa na presença de factores de risco clínicos para fratura, tais como baixo peso corporal, fractura anterior, ou o uso de medicação de alto risco.
  • Homens com 70 anos ou mais velhos.
  • Homens <70 anos de idade, se eles têm um factor de risco para baixa massa óssea, tais como;
    • baixo peso corporal
    • fratura prévia
    • uso de medicamentos de alto risco
    • doença ou condição associada com perda óssea.
  • Adultos com uma fratura por fragilidade.
  • Os adultos com uma doença ou condição associada com massa óssea baixa ou perda óssea.
  • Adultos que tomam medicamentos associados à baixa massa óssea ou perda óssea.
  • Qualquer um considerado para terapia farmacológica.
  • Qualquer pessoa a ser tratada, para monitorizar o efeito do tratamento.
  • Qualquer pessoa que não esteja tratando e que existam evidências de perda óssea.

Mulheres em descontinuação de terapia de estrogenio devem ser consideradas para densidade óssea de acordo com as indicações listadas acima.

Anterior

Próximo

Compartilhar
WhatsApp chat